SC tem o mês de janeiro com mais feminicídios desde 2015, mostra Observatório da Violência Contra a Mulher

Oito mulheres foram assassinadas por discriminação de gênero em Santa Catarina em janeiro de 2022. É o maior número registrado para o mês desde 2015, quando entrou em vigor a lei do feminicídio. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP) e estão disponíveis na plataforma Observatório da Violência Contra a Mulher.

Dos casos registrados em 2022, três ocorreram na região Oeste, dois no Sul, um no Norte, um na Grande Florianópolis e um no Vale. Em 2021, o estado teve duas vítimas de feminicídio no mês de janeiro, assim como no ano anterior. Até então, o maior número de assassinatos de mulheres por serem mulheres era de seis mortes, nos meses de janeiro de 2015 e de 2019.

Além dos casos de feminicídio no primeiro mês de 2022, Santa Catarina registrou no mesmo período 77 ocorrências de estupro e 1.537 de lesão corporal dolosa. Só em 2021, 19.702 medidas protetivas foram requeridas no estado, de acordo com o TJSC.

Observatório da Violência Contra a Mulher
Aprovado em 2015 na ALESC e implementado em 2021, o observatório é um sistema que integra informações de violência contra a mulher em Santa Catarina. Além de dados como feminicídios, ocorrências de estupro e de lesão corporal, o site traz informações como legislações, decretos e projetos em tramitação relacionados às mulheres, tanto no âmbito federal como no estadual e municipal.

As diretrizes do observatório estão sustentadas pelos pressupostos da Lei Maria da Penha e pelo Pacto Estadual Lei Maria da Penha firmado, em 2018, entre a SDS, Assembleia Legislativa, CEDIM, Casa Civil, Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Ministério Público do Estado de Santa Catarina, Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina e Federação de Consórcios, Associações e Municípios de Santa Catarina (FECAM).

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*