Rio São João: análise revela substâncias dentro dos parâmetros de segurança permitidos pelo Ministério da Saúde

O relatório da análise das águas e da fauna do Rio São João, elaborado pela prefeitura de Garuva, a partir de amostras coletadas entre os dias 16 e 17 de fevereiro de 2022, apontam a presença de substâncias químicas dentro dos parâmetros de segurança permitidos pelo Ministério da Saúde.

Foram analisados parâmetros de uma longa lista de substâncias que oferecem algum risco à saúde humana se estiverem acima da concentração máxima permitida. Entre os produtos detectados, foram constatadas a presença de cromo, arsênio e alumínio, por exemplo. Essas substâncias podem ser decorrentes de outros acidentes com produtos químicos, no Rio São João. Caso essas substâncias estivessem acima do limite, a água seria considerada imprópria.

A Secretaria de Saneamento Ambiental ainda analisa possíveis riscos oferecidos pela combinação de diferentes substâncias na água, mesmo que estejam dentro do limite permissível pela legislação vigente. Por este motivo, o município irá continuar com a recomendação para a não utilização da água para consumo, banho e pesca, seguindo a portaria nº 1.002/2018, do IBAMA. De acordo com esta portaria, um cronograma de novas análises de água, solo e fauna do Rio São João serão realizados até o mês de agosto, para então, ser emitido laudo técnico para liberação ou não da utilização das águas do rio.

A Prefeitura de Garuva ressalta que a captação e distribuição de água, não ocorre no Rio São João e por este motivo, não há riscos à saúde, na água fornecida aos consumidores do município. A Secretaria de Saneamento Ambiental emitirá, até o final do mês de março, o relatório conclusivo sobre o acidente ocorrido no último dia 16 de fevereiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*