Garuva entrará para a rota do turismo histórico

Desenvolvimento turístico integrado pelo histórico Caminho do Peabiru está em fase de planejamento

O desenvolvimento turístico, tendo como elemento principal o Caminho do Peabiru, a histórica trilha que ligava Santa Catarina até o Peru, e que tem vestígios no Nordeste do Estado, está sendo elaborado a partir de uma mobilização regional.

A iniciativa envolve representantes de entidades, lideranças comunitárias e integrantes das secretarias de Turismo de Joinville e Garuva, com acompanhamento da Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc) e do vereador de Joinville, Henrique Deckmann, um dos mobilizadores da proposta.

A primeira ação foi criar núcleos temáticos para que sejam definidas tarefas específicas para o levantamento de informações da história, mapeamento da área a ser definida no futuro projeto turístico regional, aspectos ambientais e sociais, além do potencial de desenvolvimento e incentivo ao empreendedorismo turístico, abrangendo 16 municípios.

A secretária executiva da Amunesc, Simone Schramm acompanhou a primeira reunião do grupo, realizada nesta quinta-feira (02/09) em Garuva. No encontro, ela elogiou a iniciativa e colocou a entidade à disposição, a partir do Consórcio Intermunicipal Multifinaritário da Região da Amunesc (CIM-Amunesc), como um dos possíveis fomentadores das ações integradas.

“O consórcio poderá ajudar na captação de recursos, por meio de emendas parlamentares, para apoiar as ações voltadas nesta proposta de desenvolvimento turístico regional”, destacou Simone.

A chefe de Turismo de Garuva e coordenadora do Colegiado de Turismo da Amunesc, Christine Zwettler Teixeira, ressaltou a necessidade das parcerias para colocar em práticas as ideias que serão apresentadas para fomentar esse projeto.

A intenção é fazer algo parecido como Caminho de Santiago de Compostela ,na Espanha, integrando os municípios da região, e fazendo com que os turistas visitem as estruturas existentes, conhecendo os atrativos naturais e históricos relacionados ao Caminho do Peabiru.

“Tem que ser uma parceria entre os municípios. O ideal é que seja fundamentado em projeto de lei para formalização deste processo. Com as parcerias, envolvendo as estruturas turísticas existentes, pode ser formatado um projeto que transforme os trechos do Caminho do Peabiru, que passam pela região, em algo atrativo”, disse Christine.

O tema será novamente debatido em uma próxima reunião prevista para acontecer no começo de outubro. 

Caminho do Peabiru

Esse caminho teria sido trilhado cerca de duas décadas depois do descobrimento do Brasil, em 1500, para exploração de riqueza e descoberta territorial.  

O ramal teria sido iniciado pelo náufrago português Aleixo Garcia, pela Ilha de Santa Catarina (Florianópolis). O espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca, também explorou as rotas, iniciando o trajeto pelo Rio Itapocu, depois avançando com ramais pela região Nordeste do Estado, abrangendo também as áreas da baía da Babitonga, Joinville e Garuva. Essa grande trilha se estende até o Peru. 

No trecho local do Caminho do Peabiru, se destaca a região do Monte Crista, entre Joinville e Garuva, como um referencial por preservar indícios históricos de antigas civilizações que teriam ocupado esta área.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*