Entenda a polêmica envolvendo a troca de alunos nas escolas de Garuva

Em entrevista ao Folha Norte SC, secretária Lucileide Feldhaus explicou os motivos da mudança e como será feita

As aulas começam no dia 7 de fevereiro, mas uma significativa mudança do âmbito educacional de Garuva está gerando discussões entre os moradores. Em entrevista ao Folha Norte SC, a Secretaria Municipal de Educação afirma que realizou as alterações no sistema municipal de ensino para melhorar organização dos alunos.

De acordo com a Secretária Municipal de Educação, Lucileide Feldhaus, as alterações foram realizadas para melhorar a organização dos alunos. “Com o número crescente de matrículas e tendo em vista que a EEB Carmem Seara Leite não atenderá mais 6º anos, o município teve que absorver todos esses alunos que anteriormente pertenciam a rede estadual. Com isso, nosso objetivo da mudança foi realizar uma reestruturação completa, onde os alunos estarão na mesma escola que as demais crianças da sua idade”, afirma.

Para a chefe da pasta, o objetivo é que nenhum aluno deixe de ser atendido e tenha mais qualidade na educação. “Nós entendemos que mudanças causam transtornos temporários, mas nós precisamos mudar o que não estava dando certo. Os alunos que residem distantes da escola irão receber o transporte escolar gratuito para irem para suas novas escolas. Iremos atender a todos”, explicou.

Com as mudanças, a nova escola construída no bairro Giorgia Paula, atenderá 1º e 2º anos e funcionará em tempo integral. Já a Escola Tancredo de Almeida Neves educará 3º, 4º e 5º anos. O Vicente Vieira funcionará apenas para anos finais, do 6º ao 9º ano e para a Educação de Jovens e Adultos no período noturno. A Escola Maria Martins Budal, na Vila Trevo, também passa a ter ensino integral, assim como a Escola Içá Mirim e a Escola Duque de Caxias, no Baraharas. Todas as creches municipais também terão períodos completos. As demais escolas continuarão com o mesmo sistema de ensino.

Neste ano, todos os alunos terão a disposição kits escolares para realização das atividades, de acordo com a série em que o aluno estuda. O kit será disponibilizado na instituição de ensino, no primeiro dia de aula. Outra novidade é de que serão distribuídos absorventes para as adolescentes em situação de pobreza menstrual. A aluna que necessitar do material de higiene deverá solicitar à direção da escola onde está matriculada.

Todas as medidas de segurança contidas no Plano de Contingência da Educação serão tomadas, como utilização de máscaras, disponibilização de álcool em gel e higienização dos ambientes. As informações completas sobre as alterações, estão disponíveis nos editais de matrículas, no site da prefeitura, no menu Editais > Editais e Chamamentos Públicos.

A Secretaria de Educação está a disposição para demais esclarecimentos. O atendimento pode ser realizado na própria Secretaria, anexo a prefeitura, ou através dos telefones (47) 3445-8215 ou (47) 3445-8222.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*