Em SFS, pai deixa Nordeste em busca de emprego, mas fica paraplégico após acidente a caminho do trabalho

Segundo sua esposa, o marido passou por diversas cirurgias, pois havia perdido uma vértebra da coluna; teve uma  artéria rompida e múltiplas fraturas em uma perna, que teve de ser amputada um mês depois

Uma nova vida no Sul do Brasil. Este foi o grande sonho que moveu Eclaneide do Nascimento da Silva, de 36 anos, em 2017, para deixar sua família no Nordeste rumo a São Francisco do Sul. Ao chegar aqui, não demorou para encontrar emprego, que foi fundamental na compra das passagens dos filhos, esposa, irmãos e os pais. Uma família inteira seguia o mesmo caminho que havia gerado frutos. 

Operador de máquinas, vendo a prosperidade surgir em sua vida, pelo trabalho, comprou uma moto bis para trabalhar em Araquari.  Ao lado da esposa, a faxineira Liliane Balbino Fernandes, o casal seguia uma vida árdua de trabalho para criar os três filhos, de: 8, 11 e 13, além de almejar o maior sonho de todos: sair do aluguel e conseguir a casa própria.

Na manhã do dia 23 de julho deste ano, a rotina do operador de máquinas foi abalada após um carro ultrapassar outro veículo e atingi-lo com sua moto. Eclaneide foi encaminhado ao Hospital São José, em Joinville. Seu estado era grave. 

Eclaneide foi atingido por carro a caminho do trabalho. Foto: Divulgação

Segundo sua esposa, o marido passou por diversas cirurgias, pois havia perdido uma vértebra da coluna; teve uma  artéria rompida e múltiplas fraturas em uma perna, que teve de ser amputada um mês depois. 

“Ele era um excelente trabalhador, e eu trabalhava de diarista. A gente veio do Nordeste para tentar levar a vida, no Nordeste a situação é bem difícil. Aqui a gente trabalhava junto para as crianças não passarem necessidade; até o momento, a gente não tinha conseguido o sonho da casa própria”, lamentou Liliane sobre o marido que ficou paraplégico. 

Durante os 49 dias que permaneceu no hospital, Liliane ficou ao lado do esposo, o que acarretou na perda definitiva da renda da família. Os filhos ficaram sob os cuidados dos avós, que receberam ajuda de amigos com alimentação. 

A família entrou na justiça para conseguir a aposentadoria de Eclaneide, que até o momento não recebeu nenhum benefício. “Meu marido vai ficar na cadeira de rodas para o resto da vida, mas Deus foi tão bom que ele está vivo”, agradeceu pela vida do esposo. 

Família precisa de ajuda após pai perder a renda da casa. Foto: Divulgação

 De acordo com o advogado Fernando Alfredo Siqueira Teixeira, o processo para obter a aposentadoria pelo INSS já está em andamento, mas o pedido de indenização ainda não foi dado a entrada devido a documentos que ainda são recolhidos.   

Para leitores que quiserem colaborar com a família, entre em contato com o WhatsApp: 47 99703-7379.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Siga o Folha Norte SC e receba mais notícias de São Francisco do Sul e região

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*