Em Itapoá, menino que surfava com parte de prancha achada no esgoto, hoje busca apoio para surfar no Peru

“Lá poderá ser uma porta para outras viagens. Quem puder me ajudar, agradeço desde já, será uma coisa muito legal que vocês estão fazendo”, diz Miguel Amaral, de 11 anos, morador do bairro Itapema do Norte

Ofrenesi das ondas cortadas pelos coloridos das pranchas eram convidativas para um menino que, com apenas quatro anos de idade, observava atento das areias das praias de Itapoá a construção do sonho de ser um surfista campeão. Miguel Amaral, hoje com 11 anos, busca apoio financeiro para subir mais um degrau em busca de seu objetivo: participar do Surf Trip de Lobitos, no Peru.

Voltando mais um pouco no passado, o menino conta que, das praias aos campeonatos que acompanhava na TV, foi descobrindo a certeza de que sua maior realização seria igualar-se ao surfista campeão mundial Gabriel Medina, um ídolo.

Miguel em Itapoá. Foto: Acervo

Como improviso do destino, em um passeio de família, um artefato familiar chamou a atenção de sua avó, na beira de um córrego de esgoto. Algo que, mesmo destinado ao lixo, para o menino, poderia ser a primeira chance de lança-se em busca do sonho.

“Minha avó achou uma prancha, aí ela pegou a prancha levou para casa e meu pai começou a me ensinar a surfar”, lembra. Na verdade, Miguel revela que não era uma prancha em si, apenas a metade dela, quebrada, descartada por alguém que não teve um bom dia no mar, mas que deu ao menino brilhos nos olhos e muitas tentativas de manter-se em pé nela, em cima da água. A evolução para ganhar de seu pai uma verdadeira prancha de surf ‘grandona’ como destacou, ainda passou por dias surfando, também, em uma tampa de isopor, como lembra Miguel.

Gravação: Divulgação

Confiante da viagem que pretende fazer, o jovem surfista acredita que ela poderá lhe oferecer outros voos, e pede a colaboração da comunidade para ajudar com a compra das passagens. “Lá poderá ser uma porta para outras viagens. Quem puder me ajudar, agradeço desde já, será uma coisa muito legal que vocês estão fazendo”, diz.

“O sonho dele é meu sonho”

A manicure Mayara Danielle Amaral, 33 anos, e o motorista Elielson Garcia de Souza, de 42, são pais do Miguel. Eles viram aquele sonho nascer nas areias de Itapoá e, hoje, compartilham com o filho o mesmo desejo de vê-lo mostrar seu talento no Peru. “O sonho dele é meu sonho. Estamos juntos com ele, eu e o pai dele, para que o sonho dele se realize”, destaca a mãe que, em campanha, pretende arrecadar 9 mil para pagar os custeios da viagem do filho.

Outro que também acompanha de perto o desenvolvimento do menino é seu professor de surf Daniel Mika, de 31 anos. Segundo Daniel, que tem um projeto que ensina o esporte para jovens de Itapoá, Miguel é um menino dedicado e comprometido, que enche sua equipe de alegria e orgulho.

Professor Daniel e Miguel. Foto: Acervo

“Um cara respeitoso dentro do mar, que tenta auxiliar os outros colegas que estão nessa fase de aprendizado”, afirma o professor que, devido à garra do menino, optou por iniciar a campanha de arrecadação para levá-lo ao Peru.

Para os leitores que quiserem colaborar com a a compra das passagens de Miguel, deposite em: Pix – CPF 03011855900 – Elielson Garcia de Souza.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

6 Comments on "Em Itapoá, menino que surfava com parte de prancha achada no esgoto, hoje busca apoio para surfar no Peru"

  1. Elielson Garcia de Souza | 30/01/2021 at 3:34 pm | Responder

    Desde ja Nós os País do Miguel Agradecemos todos pelo apoio e carinho com nosso menino. GRATIDÃO!!!

  2. Clair Partika | 30/01/2021 at 3:56 pm | Responder

    Quero ajudar

  3. Marly Rosa de Oliveira | 30/01/2021 at 4:08 pm | Responder

    Muito bom, que Deus abençoe grandemente a todos nós a carreira desses jovem surfista.

  4. Márcio Araújo Tinte | 30/01/2021 at 6:39 pm | Responder

    show precisamos apoiar múito bom

  5. Miguel, quando será a viagem?

  6. Que bacana , parabéns ???

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*