Em Garuva, morro torna-se ponto de abandono de cães doentes, para morrer

Segundo moradores, os criminosos cometem estes crimes à noite, em dias chuvosos, quando não há fiscalização da comunidade, e a maioria dos animais abandonados são extremamente doentes e, até mesmo, cadelas e gatas prestes a dar à luz

A crueldade humana contra os animais ganha espaço a cerca de três quilômetros do Centro de Garuva, em um local conhecido como “Morro do Brejaúva”, na localidade de Três Barras. Todos os meses, mais de 30 cães e gatos são abandonados na estrada que passa pelo local. Segundo moradores, os criminosos cometem estes crimes à noite, em dias chuvosos, quando não há fiscalização da comunidade. A maioria dos animais abandonados são extremamente doentes e, até mesmo, cadelas e gatas prestes a dar à luz.

Animais são abandonados diariamente na rua que corta o morro. Foto: Herison Schorr

Mário Tomazzoni, de 70 anos, é aposentado e mora no local há quase 20 anos. No quintal de sua casa, brincam acolhidos nove cães de porte médio que compartilham uma história em comum: foram adotados ainda pequenos, onde criaram laços afetivos com os primeiros donos, mas cresceram e tornaram-se descartáveis aos olhos de quem não retribuiu este primeiro amor, deixando-os à própria sorte no Morro do Brejaúva. “Solta lá pra cima, onde ninguém vê. Eles vêm até aqui, e se encostam aqui”, conta o morador que este ano já acolheu 20 cães. 

Esposa de Mário. O casal acolhe os cães que são abandonados no local. Foto: Herison Schorr

Enquanto caminha pelo quintal, Mário é rodeado pelos cães, que parecem sentir no olfato alguém para retribuir com gracejos o carinho do acolhimento. Entre eles, o aposentado revela que muitos estavam doentes e famintos, abandonados, de fato, para morrer. Um em especial, é pego no colo para ganhar um afago. Ele está em tratamento, devido a uma sarna que toma conta de seu corpo de filhote, um motivo sugerido pelo morador para seu abandono. “Tem que pegar e botar na cadeia esses lazarentos”, diz, Mario, revoltado. 

Filhote abandonado. O morador suspeita que o motivo do abandono foi a sarna presente no cãozinho. Foto: Herison Schorr

Devido aos poucos recursos financeiros, Mário trata os animais com doações de medicamentos dos amigos que, posteriormente, acabam adotando-os. Ele destaca que, com os constantes aparecimentos de animais, toda ajuda é bem-vinda. O contato para a doações de medicamento podem ser feitas pelo WhatsApp: 47-988945399.

Na descida do morro, a casa de um outro morador também torna-se ponto de chegada dos animais abandonados, que buscam por uma nova chance de serem aceitos. O aposentado Egon Nebel afirma que lhe falta coragem de virar as costas para estes cães e até gatos, por isso os acolhe da forma como pode. 

O garuvense destacou que desde a pandemia houve uma explosão de abandonos, com ênfase para os cães doentes. “No mínimo, 50, e estou chutando por baixo”, conta o morador que ainda se lembra de um cão que apareceu na propriedade com sangramento nos genitais e outro com um tumor no pescoço. Alguns, amanhecem já mortos, sem tempo para socorro.

Egon com um dos cães abandonados que tornou-se da família. Foto: Herison Schorr

Segundo Egon, infelizmente, devido o pouco dinheiro para comprar a comida dos animais, muitos acabam indo embora, inclusive matando as galinhas dos vizinhos para saciar a fome. 

Cadelas abandonadas prestes a dar à luz

Para os moradores do Morro do Brejaúva, é comum encontrar pelas redondezas cadelas roliças circulando pelo local, as quais aparecem, após dias, com as barrigas sem o volume e com as tetas cheias de leite, adentrando à mata, em algum local que restou para elas darem à luz. Há, também, aquelas que são abandonadas já com seus os filhotes. 

“Esses dias abandonaram uma cadela lá em cima com cinco filhotinhos, daí o carro matou a cadela e os filhotes ficaram lá”, conta a operária Cleonice Atanásio, que também vira-se para acolher os animais abandonados. Um deles, tornou-se seu xodó. “Encontrei ele a noite na frente de casa chorando, estava chovendo. Coloquei para dentro, dei um banho e dei comida”, afirma sobre o pequeno que ganhou uma nova chance. 

Durante a pandemia, houve uma explosão de casos de abandono de animais, segundo os oradores. Foto: Herison Schorr

Segundo o código penal brasileiro, abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Vale lembrar que uma nova legislação, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada em setembro do ano passado, aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime.

Para denunciar o abandono de animais, clique aqui.

Morro do Brejaúva, local onde cães são abandonados, em Garuva. Foto: Herison Schorr

Siga o Folha Norte SC no Facebook e receba mais notícias de Garuva e região!

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

1 Comment on "Em Garuva, morro torna-se ponto de abandono de cães doentes, para morrer"

  1. Já passou da hora de instalar câmeras nesse local, pra pegar no flagra esses vagabundos que abandonam esses pobrezinhos….

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*