‘Caso lombada’: Garuva não irá por a vida de suas crianças em risco para agradar alguns turistas

Circulou nas redes sociais, nesta semana, um vídeo de mais um turista insatisfeito com as constantes filas na SC-417 que liga Garuva às praias de Guaratuba e Itapoá. Desta vez, o foco das reclamações não é mais o velho e único semáforo do município, que já foi tema de reportagens no Paraná sobre os “transtornos” que ele causa aos veranistas que pela região passam. O descontentamento, agora, é com uma lombada inserida na rodovia.

Nota-se que o motorista, que infringe o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) por manusear um celular enquanto dirige, gerando uma infração gravíssima, com multa no valor de R$ 293,47 e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), não menciona (quem sabe, nem percebe) a placa do lado direito sinalizando que próximo há uma escola, especificamente, a Escola Municipal Içá Mirim. E isso é a mais pura essência revelada do motivo pela lombada estar onde deve estar.

A placa já ocupava o espaço antes mesmo da lombada, mas, infelizmente, devido a motoristas que voltam suas atenções única e exclusivamente para chegar o mais depressa ao destino, incluindo aqueles que tornam-se absortos em seus celulares durante a viagem, a vida das crianças garuvenses passou a estar vulnerável no caminho à escola.

Assim como nosso semáforo, que é primordial para contribuir com o trânsito garuvense durante contestantes dias da semana de trabalho, a lombada passou a ser um fator valioso para quem tem como prioridade a vida humana e não os caprichos daqueles que não costumam olhar para o lado e observar os ‘sinais’ ou “placas”. Garuva não irá por a vida de suas crianças em risco para agradar alguns turistas.

Para finalizar esta breve viagem reflexiva sobre bom senso, podemos observar, também, que as filas não são de exclusividade da SC-417, à medida que os motoristas também encontram o trânsito paralisado por grande parte da BR 101, sentido Curitiba, onde todos nós temos ciência de que não há a presença de lombadas.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Siga o Folha Norte SC e receba mais notícias de Garuva e região

10 Comments on "‘Caso lombada’: Garuva não irá por a vida de suas crianças em risco para agradar alguns turistas"

  1. Perfeita defesa da segurança de nossas crianças, e de nosso trajeto diario, pois não só de temporadas vivem os Garuvenses, mas de outras fontes de serviços, e os trabalhadores ocupam estas estradas diariamente!
    Obrigada!

  2. Eu concordo com os cuidados das crianças, mas se tivessem feito uma passarela seria bom para os moradores e para os turistas.

  3. Essa rodovia, tem de ser duplicada o mais rápido possível. O Porto, deve junto com órgãos públicos, tomar essa iniciativa. Os veranistas é proprietários de imóveis em Guaratuba e Itapoa, tbém tem seus direitos, pois pagam impostos caros , para manterem seus imóvel. E turistas são essenciais para o cometa local. .

  4. Ernâni Cesar Bolfarini | 07/01/2022 at 9:02 am | Responder

    Desculpem minha opinião: sou totalmente contra as lombadas. Elas realmente reduzem o escoamento dos veículos e dão grande desgaste aos mesmos, além do aumento de combustíveis com o constante freia e acelera. No entanto, nesse local, o problema não é a lombada e sim maus motoristas que não respeitam as leis e ora seguram demais o transito com velocidades abaixo da permitida ou muito acima provocando acidentes. Complementando isso, vem o poder público com suas obras ineptas, mau projetadas é pessimamente construídas. Vias que poderiam ser inicialmente construídas em pistas duplas, com passarelas para pedestres e outros dispositivos, são negligenciadas pelo poder publico com essas porcarias de estradas. Vide rodovia que liga Garuva ao Porto. Rodovia recém construída é totalmente esburacada, com asfalto de péssima qualidade, sem acostamento e sem sinalização. É, realmente não são somente as lombadas a morosidade do trânsito. Sem falar na incompetência do serviço de resgate e livramento das vias por ocasião dos acidentes. Vide último final de semana do ano, onde milhares de veículos ficaram parados por várias horas para a remoção de ferragens.

  5. Concordo com a lombada mais poderia ser uma eletrônica pois evitaria em 50% das fila.Colocam tantos radares e onde é nescessário não tem.

  6. Maria de Lourdes preisler | 07/01/2022 at 5:57 pm | Responder

    Boa tarde, tenho casa em Itapoa e sempre estou aí.
    Nada me encomenda a lombada, na verdade o que é comida são os apressadinhos, os maus motoristas isso sim.
    Se sabe que na temporada é assim se não quer enfrentar não vá.
    Segurança em primeiro lugar, e a lombada ajuda e evita acidentes dos veranistas e das pessoas que aí residem, não devem retirar a lombada, deixa como está.

  7. Maria de Lourdes preisler | 07/01/2022 at 6:20 pm | Responder

    Minha opinião, tenho casa em Itapoa, sempre estou aí e nada me encomenda a lombada, e sim os motoristas apressadinhos que na pressa causam acidentes.
    Se sabe que na temporada é assim mesmo não só aí e sim em todas as praias, se não tem paciência, não vá num momento desses, são poucos km.
    Acho que primeiro vem a segurança aos moradores seja com lombada, passarela ou eletrônica, portanto o direito de ir e vir é de todos não só pra quem frequenta as praias,uma segurança a todos, só assim barra os maus motoristas

  8. Só que pela lei de trânsito não pode ter lombada física em rodovia e as lombadas tem uma característica quando altura e comprimento, as que tem estão fora dos padrões, não fui eu k fiz o vídeo, acontece que tem 2, podia ser um redutor de velocidade para que não precisasse parar,e acontece k vc este turista é cidadão e paga seus impostos se acham o donos do mundo então fechem a rodovia porque o seu direito não pode restringir o meu.

  9. Com o crescimento econômico da região, essa rodovia já merece uma duplicação e passarela nos pontos mais críticos.

  10. Destino ITAPOÁ e Guaratuba, tem nova rota, nenhum turista precisa passar por Garuva, basta corrigir a placa da saída 5.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*