Campo Alegre usa tecnologia para encontrar vazamentos na rede de água do município

De acordo com o secretário Arthur Fernando Bastos, estima-se que ao longo do ano passado, o desperdício da rede do centro da cidade tenha gerado um prejuízo total de aproximadamente R$ 100 mil isso levando em conta o valor da taxa mínima de uma fatura de água

Desde o dia 1º de Janeiro, a Secretaria de Saneamento Ambiental de Campo Alegre, através da Águas de Campo Alegre, segue realizando um trabalho intenso focado na redução das perdas de água no sistema de abastecimento. O secretário, Arthur Fernando Bastos, com apoio dos servidores do setor, está percorrendo as ruas do município para identificar vazamentos não visíveis.

O equipamento usado para encontrar os furos chama-se Geofone, um aparelho que possui função muito parecida com a do estetoscópio de um médico. Com ele, nestes últimos 4 meses, técnicos estão percorrendo as ruas para detectar e consertar os vazamentos ocultos.

Segundo Arthur, os resultados deste trabalho estão valendo à pena, pois ao conferir os índices de entrada de água na caixa de abastecimento da ETA (reservatório principal do Centro), somente em dezembro de 2020, foi constatado um percentual de 30,1% em perdas ao longo da tubulação de distribuição de água do centro. Ou seja, de toda água que foi tratada, 30,1% acabou se perdendo ao longo de vazamentos da rede somente em dezembro.

Chamado de Geofone, aparelho detecta vazamentos em tubulações do município.
Foto: Prefeitura de Campo Alegre

De acordo com o secretário, estima-se que ao longo do ano passado, o desperdício da rede do centro da cidade tenha gerado um prejuízo total de aproximadamente R$ 100 mil isso levando em conta o valor da taxa mínima de uma fatura de água.

A prefeita Alice Grosskopf comemora o sucesso dos trabalhos, e ressalta que a ação faz parte do conjunto das melhorias que Águas de Campo Alegre estará desenvolvendo no município. “Nosso compromisso é levar água com qualidade e regularidade aos usuários todos os dias, e evitar o desperdício tanto na rede de abastecimento, quanto nas casas é a melhor maneira de valorizar nossa água”, concluiu a prefeita.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*