Campo Alegre surge em relatório estadual de seca

Com esta condição, que ocorre entre 5 e 10 anos, o município poderá registrar alguns danos nas culturas, pastagens, córregos, além de contabilizar reservatórios e poços com níveis baixos, estimulando campanhas para racionamento de água

Campo Alegre está entre os 147 municípios catarinenses que enfrentam a chamada ‘seca moderada’, segundo o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres. Com esta condição, que ocorre entre 5 e 10 anos, o município poderá registrar alguns danos nas culturas, pastagens, córregos, além de contabilizar reservatórios e poços com níveis baixos, estimulando campanhas para racionamento de água. A situação mais grave é no Oeste catarinense, com municípios que estão registrando seca extrema e pouca previsão de chuva para os próximos meses.

Situação da seca em Santa Catarina: Arte: Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres

De acordo com o relatório apresentado no mês passado, em Campo Alegre, no mês de agosto, foram cerca de 28 dias sem registrar chuvas, o que acarretou com uma média no Planalto Norte de entre 40mm a 80mm de precipitação abaixo da média para o mês.

Para setembro, a previsão é que o acúmulo de chuva fique próximo da média para o mês. Nós próximos seis meses, a previsão é de agravamento da estiagem e o índice hídrico pode chegar a 50% abaixo da média, prejudicando o armazenamento de água em 2022.

Secretaria de Agricultura

Segundo Secretaria de Agricultura do município, a seca estava dentro do esperado, tendo em vista que estamos no fim do inverno e se espera que no início da primavera a volta das chuvas normalize a situação. A Secretaria também complementa que os danos para agricultura foram pequenos e somente pontuais, nas culturas de trigo e pastagem de inverno. Apesar de rios e poços em baixo nível, não foi registrado falta de água nas propriedades.

Cascata do Paraíso. Foto: Herison Schorr

“Nossa Secretaria em conjunto com Águas, tem trabalhado no sentido de conscientizar a preservação das APPs (área de preservação permanente) das nascentes e rios e também no uso consciente da água”, informou a Assessoria da Prefeitura em nota.

Secretaria de Saneamento Ambiental

Para a Secretaria de Saneamento Ambiental, felizmente, a estiagem não comprometeu os Sistemas de Abastecimento de Água do Município de Campo Alegre até o momento. “No entanto, estamos sempre atentos. Visitas periódicas são realizadas à captação de água superficial do Rio Turvo”, informou No que se refere às captações subterrâneas por poços artesianos, a medição de seus níveis estáticos e dinâmicos é realizada semanalmente.

“Vale lembrar que a água é um recurso natural de extrema importância para garantir a sobrevivência humana e que devemos, cada vez mais, evitar seu desperdício”, enfatizou a Prefeitura.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Siga o Folha Norte SC e receba mais notícias de Campo Alegre e região.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*