Araquari e São Francisco do Sul apresentam melhora na Matriz de Risco da Covid-19 em SC

Araquari e São Francisco do Sul deixaram neste sábado (4), o nível alto (amarelo) da Matriz de Avaliação de Risco da Covid-19 em Santa Catarina, ocupando, agora, a colocação de nível moderado (azul), assim como outras 12 regiões catarinenses.

Anúncio foi divulgado neste sábado (4). Arte: Governo de Santa Catarina

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, de lá para cá, houve avanço na vacinação que, alinhado a uma redução na taxa de ocupação de leitos de UTI Adulto com pacientes diagnosticados com Covid-19 e na taxa de mortalidade, vem mantendo a tendência de redução da gravidade da pandemia em todas as regiões do estado.

Ocupação de leitos de UTI Adulto Covid-19 em Santa Catarina

A taxa de ocupação de leitos de UTI Adulto de pacientes com diagnóstico de Covid-19 em Santa Catarina é de 18% no total, com uma ocupação de 264 leitos, em um total de 1.449 disponíveis, o que classifica a capacidade de atenção do Estado como nível moderado. Em relação às regiões, duas estão com uma ocupação acima de 40%, com 63 leitos ocupados dos 150 leitos disponíveis (42%) na região Nordeste e 42 leitos ocupados dos 100 disponíveis (40%) na região Oeste, assim classificados como risco grave.

As regiões Grande Florianópolis, Extremo Oeste, Xanxerê e Laguna estão com taxas de ocupação de leitos entre 20 a 40%, sendo classificados como risco alto, e as demais estão todas abaixo de 20%, ou seja, moderado (Tabela1). A análise deste indicador torna possível uma melhor gestão da ocupação de leitos de UTI no estado, servindo tanto para monitorar a situação de gravidade da pandemia de forma regionalizada como de parâmetro para a retomada das cirurgias eletivas,  paralisadas durante o período mais crítico da pandemia.

Balanço da vacinação

Até o momento, já foram aplicadas 11.344.973 doses e vacinas contra a Covid-19 em todo o estado. Dessas, um total de 5.758.861 foram primeira dose, equivalente a 94,05% da população vacinável (acima de 12 anos) ou 79,41% da população geral, e 5.037.204 segunda dose ou dose única, equivalendo a 82,27% da população vacinável ou 69,45% da população total completamente imunizada. Outras 529.280 doses foram utilizadas como dose de reforço e 19.628 como dose adicional. Considerando o número de doses aplicadas por faixa etária, o índice de cobertura vacinal ultrapassou 83% na população com 30 a 39 anos, superou 93% nas populações de 40 a 59 anos, e alcançou 100% na população de 60 anos ou mais.

Para os adultos jovens, de 18 a 19 anos e 20 a 29 anos, a cobertura ainda é de 69,8% e 74,8%, respectivamente, o que demonstra que muitos ainda não retornaram para completar o esquema vacinal com as duas doses. Já em relação aos adolescentes, 79,1% já receberam a primeira dose e 22,6% a segunda dose. Este foi o último grupo a ser inserido na campanha nacional, e vem tendo uma boa adesão até o momento de acordo com os prazos.

A homogeneidade vacinal é um importante indicador de desempenho do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e demonstra a proporção de municípios que alcançam a meta estabelecida de uma campanha de vacinação. A meta estabelecida para a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 é de 85% de cobertura vacinal da população em geral. Nesse quesito, 56 municípios (19%) já alcançaram a meta. Outros 76 municípios (26%) estão entre 75 e 84%, 104 municípios (35%) estão entre 65 e 74%, 50 municípios (17%) estão entre 55 e 64% e apenas 9 municípios (3 %) estão com coberturas abaixo de 55% (Tabela 3). 

Segundo o painel Vacinômetro SC, elaborado a partir dos registros de vacinação que alimentam o banco de dados do Ministério da Saúde, os nove municípios que apresentam as coberturas abaixo de 55% são: Schroeder (54,04%), Entre Rios (53,88%), Araquari (52,80%), Timbó Grande (48,07%), Bom Jesus (46,12%), São João Batista (45,02%), São Lourenço do Oeste (42,67%), Ipiaçu (38,13%) e Calmon (20,09%).

Impacto da vacinação na redução de casos e óbitos por Covid-19

A vacinação contra a Covid-19 teve início no dia 18 de janeiro de 2021, e até fevereiro, pouco mais de 63.543 catarinenses estavam com o esquema vacinal completo. Na medida em que a vacinação foi avançando, o número de mortes por Covid-19 foi gradualmente reduzindo.  Nos meses de março a maio foram registrados 7.914 óbitos, enquanto 762.904 pessoas estavam com o esquema vacinal completo. Nos meses de junho a agosto houve 3.290 mortes, quando 2.472.827 pessoas estavam vacinadas. Isso representa uma queda de 58,4% nos óbitos e um aumento de 224% no número de pessoas vacinadas, quando comparado os períodos de março-maio com junho-agosto.Já no período de setembro a novembro, foram registradas 1.188 mortes, com um total de 5.011.080 pessoas completamente vacinadas.

Comparando-se com o período anterior, houve uma redução de 63,9% nos óbitos por Covid-19, paralelo a um aumento de 103% na vacinação.Distribuição de óbitos por Covid-19 em relação ao total de pessoas completamente imunizadas contra a Covid-19 em Santa Catarina.

O principal objetivo da matriz de risco é ser uma ferramenta de tomada de decisão. A nota final do mapa de risco considera um intervalo de variação mais adaptado para cada nível, sendo de 1 a 1,9 como moderado, 2 a 2,9 como alto, 3 a 3,9 como grave e igual a 4 como gravíssimo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*