Araquari e Garuva são classificados como ‘infestados’ pelo mosquito Aedes aegypti, segundo relatório da Dive

Dados foram apresentados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina, que incluiu Garuva no último levantamento publicado na sexta-feira passada (21)

Araquari e Garuva estão entre os 112 municípios catarinenses classificados como ‘infestados’ pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. O relatório foi apresentado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina, que incluiu Garuva no último levantamento publicado na sexta-feira passada (21). Segundo a Diretoria de Vigilância, a definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Segundo a Diretoria de Vigilância, a definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos. Gráfico: Dive

Ações e avanço da dengue nos municípios

Araquari

Araquari alcançou no dia (15) de maio a marca de 335 focos do mosquito Aedes Aegypti, registrados só em 2021. O bairro Itinga concentra 61% desses focos e ainda é considerado infestado. Pensando em conscientizar a população sobre os cuidados necessários para manter o município livre do mosquito, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a Secretaria de Governo, Comunicação e Desenvolvimento, lançou a campanha “Dengue Mata” com materiais gráficos e vídeos sobre sintomas das doenças e cuidados preventivos. 

Além do aumento no número de focos do mosquito, só neste ano, a Vigilância Epidemiológica do município registrou 20 moradores com dengue, sendo que 7 contraíram dentro do município e 56 casos estão sendo investigados. Esses números acenderam um alerta à SMS que uniu forças com entidades representativas para que auxiliem na divulgação das formas de combate ao mosquito transmissor. 

De acordo com o Departamento de Combate à Dengue, da Vigilância Epidemiológica, além do Itinga, que  concentra mais da metade dos focos positivos, 205, outros 10 bairros já registraram focos do mosquito. São eles: Porto Grande (44); Colégio Agrícola (30); Centro (22); Areias Pequenas (12); Barra do Itapocu (7); Volta Redonda (6); Rainha (6); Corveta (1); Itapocu (1); e Morro Grande (1). A maioria dos focos são encontrados em armadilhas colocadas pelos agentes de combate a endemias para monitoramento. Atualmente, a equipe de combate a endemias é formada por 10 agentes que visitam residências e empresas.

Nesta quinta-feira (27), a Secretaria Municipal de Saúde de Araquari em parceria com o setor de Vigilância Ambiental da Gerência Regional de Saúde realiza, das 17h às 20h, a aplicação de inseticida nas proximidades da rua das Carpas, no Itinga. O pedido é para que os moradores mantenham as janelas e portas abertas para que o produto possa eliminar os mosquitos Aedes Aegypti, transmissores da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. O bairro Itinga está infestado e concentra mais da metade dos focos de todo o município, que desde o início de 2021, registrou 355.

De acordo com a Vigilância em Saúde de Araquari, o produto não traz risco à saúde da população, mas é preciso ter cuidado para não expor animais domésticos, como cães e gatos. Lembrando que os moradores não precisarão sair de suas residências durante a ação. “Esta será a primeira vez que o produto será aplicado em Araquari e faz parte de uma série de ações da SMS para combater a proliferação do mosquito”, afirmou a vigilância.

Garuva

Neste ano, Garuva já encontrou 154 focos do mosquito Aedes aegypti no município, os quais foram localizados em sua maioria na região central da cidade. São 14 casos confirmados da doença desde o início de 2021.

Nas últimas semanas, diversas ações foram realizadas pela Secretaria de Saúde, como aplicação de inseticida para controle do mosquito, visitas dos agentes de endemias, agentes comunitários de saúde e bombeiros nas casas, empresas e demais locais para controle e eliminação dos focos. O município monitora a evolução através de 64 armadilhas instaladas em 22 pontos estratégicos para encontrar os focos e eliminá-los.

Vigilância Epidemiológica realiza ações de controle do mosquito no município. Foto: Prefeitura de Garuva

“É necessário a conscientização da população a respeito das formas de prevenção e dos cuidados básicos que podem ser adotados com a finalidade de evitar o surgimento de novos nascedouros dos mosquitos, jogando fora pneus velhos, limpando as calhas, virando garrafas com a boca para baixo, colocando areia nos vasos de plantas, não despejando lixos em valas, lavando a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e mantendo fechadas tampas de caixas d’água e cisternas”, destacou a Prefeitura do município em nota.

Siga o Folha Norte SC no Facebook e receba mais notícias de Araquari, Garuva e região!

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*