Após elevação preocupante, Garuva reduz mortalidade infantil

Garuva finalizava o ano de 2015 sem registrar mortes de bebês durante o primeiro ano de vida. O resultado foi seguido pelo ano de 2016. Porém, a partir de 2017, o município passou a contabilizar um número crescente de óbitos de crianças antes de completarem o primeiro ano de vida, chegando em 2018 a 19,67 mortes por cada mil nascidos vivos.

O último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em dezembro do ano passado, mostra que o município conseguiu diminuir a taxa de mortes para 10,68 óbitos a cada mil nascimentos.

Série histórica da mortalidade infantil em Garuva. Fonte: IBGE

Em entrevista ao Folha Norte SC, o secretário de Saúde do município Rogério Thomas destacou que as estratégias implementadas no município para reduzir a taxa de mortalidade se basearam em oferecer cuidados de saúde primários, como a busca ativa na orientação da importância do pré-natal, a busca ativa para verificar a vacinação das crianças, às campanhas de vacinação e de conscientização sobre a importância do aleitamento materno e a investigação da Vigilância Epidemiológica para investigar óbitos maternos e infantis, suas principais causas e prevenções.

“Outro fator importante, é que as agentes comunitárias de saúde verificam as crianças em situação de vulnerabilidade social e encaminham para a Assistência Social, garantindo a segurança alimentar das crianças”, afirmou.

Para o secretaria de Saúde, a diminuição da mortalidade infantil em Garuva representa o esforço e a efetividade das equipes de saúde em seu trabalho na atenção primária por meio de estratégias como o fortalecimento de políticas públicas e o aprimoramento do atendimento às gestantes e aos bebês.

Mortalidade infantil no Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) nos países não deve ser superior a 10 mortes para cada mil nascidos vivos (NV). A TMI acima de 50 mortes para cada 1.000 NV é considerada pela OMS como alta e entre 20 e 49, média.

Desde 1990, o Brasil apresentava queda média anual de 4,9% na mortalidade. Nos anos 1980, segundo o IBGE, o país chegou a registrar 82,8 mortes por mil nascimentos. Em 1994, a taxa chegou a 37,2; e, em 2004, a 21,5. No ano de 2020, o Brasil contabilizou 11,56 mortes de bebês a cada mil nascimentos.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Siga o Folha Norte SC e receba mais notícias de Garuva e região

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*