Focos de Aedes Aegypti e casos de Dengue estão aumentando em São Francisco do Sul

Até agora, foram registrados 35 focos de Aedes Aegypti no município

A equipe do Laboratório Municipal de Endemias chama atenção para os cuidados necessários para evitar a proliferação do Aedes Aegypti, principalmente com a chegada do calor. O mosquito é responsável por transmitir doenças como Dengue, Zika e Chikungunya. 

De acordo com o monitoramento, feito com armadilhas em mais de 300 pontos no munícipio, foi verificado um grande aumento no número de focos e casos de dengue. Até agora, foram registrados 35 focos de Aedes Aegypti em São Francisco do Sul, e 33.407 focos em todo o Estado. Já os casos da doença contabilizam 11.310 em Santa Catarina e 10 casos em São Francisco do Sul. 

Segundo o veterinário do Laboratório de Endemias, Alexandre Muehlmann, a equipe vem encontrando dificuldades para monitorar residências que ficam fechadas, principalmente nos Balneários. “Chamamos uma atenção para os Balneários, em especial a Enseada e Praia Grande. Nos últimos dias, verificamos diversos focos do mosquito com uma característica muito particular, que é a imensa quantidade de imóveis fechados e de difícil acesso, o que dificulta o trabalho de controle. Muitos desses imóveis permanecem fechados durante todo o ano e podem servir de criadouros”, explica.

Além das residências que ficam fechadas, Muehlmann destaca a importância de um engajamento coletivo e ações contínuas para eliminar os criadouros do mosquito. De acordo com ele, o Aedes Aegypti se prolifera em locais com água parada, em especial os depósitos nos ambientes urbanos e domésticos, nas casas, empresas e comércios. Caso o munícipe encontre alguma residência nesses moldes, pode realizar a denúncia pela Ouvidoria da Prefeitura, no telefone 3471-2294 ou pelo e-mail ouvidoria@saofranciscodosul.sc.gov.br. Dessa forma, a solicitação é oficializada e encaminhada para o setor responsável. 

Elimine todos os possíveis locais que possam acumular água:

– Mantenha caixas d’água bem vedadas, inclusive o extravasor (conhecido como ladrão);

– As piscinas devem estar sempre limpas e tratadas ou protegidas por telas;

– Verifique entupimento em calhas;

– Ralos que acumulam água podem ser telados ou preenchidos com brita;

– Tenha atenção no descarte de materiais e lixo;

– Guarde garrafas com a boca para baixo;

– Confira os vasos e coloque areia nos pratinhos;

– Explore seu imóvel para eliminar todos os possíveis locais com água parada e também oriente seus vizinhos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*