Conheça as bolsas térmicas terapêuticas feitas com sementes e ervas aromáticas, em Garuva

Elas foram criadas com o intuito de substituir as bolsas térmicas de borracha por produtos mais humanizados, agregados ao poder das plantas medicinais”, como conta a artesã Muriele Juliana Zamboni

Usadas para relaxar o corpo e a mente, as bolsas terapêuticas feitas com sementes e ervas aromáticas estão em ascensão nas lojas de produtos alternativos.

Foto: Divulgação

Confeccionadas pela artesã Muriele Juliana Zamboni, 45 anos, moradora do Centro de Garuva, as bolsas são indicadas, segundo ela, em crianças maiores de 5 anos e adultos. “Elas são indicadas para dores musculares, distensões musculares, cólicas, dores de cabeça, torcicolos, dentre outros. E seu delicioso aroma ajuda na qualidade do sono e relaxamento”, afirma sobre as bolsas que podem ser usadas quentes – aquecidas no  micro-ondas -, e frias – embaladas e colocadas no congelador -.

Foto: Divulgação

Para os bebês, Muriele conta que produz um kit especial, contendo uma bolsa térmica com sementes e ervas aromáticas e um travesseirinho de ervas. “As bolsinhas são indicadas para cólicas, e o travesseirinho ajuda o bebê a relaxar”, destaca.

Foto: Divulgação

O valor das bolsas térmicas para a linha adulto é de R$50; o kit bebê custa o mesmo valor, mas pode ser vendido separadamente, a bolsinha de bebê fica a R$ 30, e o travesseirinho R$ 25.

Foto: Divulgação

A artesã conta que começou a confeccionar os produtos akala em 2018, com o intuito de substituir as bolsas térmicas de borracha por produtos mais humanizados, agregados ao poder das plantas medicinais, da Aromaterapia, “e de todo amor e carinho que é colocado na hora da confecção”, finaliza.

Para os leitores que quiserem encomendar as bolsas térmicas de Muriele, entrem em contato pelo WhatsApp: 47 996184858.

Siga a artesã no Instagram: @ akala_bolsas_termicas e @ murizamboni.

Texto: Herison Schorr

Jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Siga o Folha Norte SC no Facebook e ajude a fortalecer o jornalismo local.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*