UniSociesc Joinville realiza palestra sobre Racismo e Consciência Negra

O evento, gratuito e aberto, traz à tona importantes reflexões sobre o tema, especialmente depois de casos notórios de racismo no Brasil, nos últimos dias

Diante de um cenário, e vale ressaltarmos em pleno ano de 2020, onde a primeira vereadora negra eleita, em Joinville, sofre ataques por racismo e ameaças, e um homem negro é espancado até a morte em um supermercado, em Porto Alegre, fica evidente a importância de ainda ser amplamente discutido o preconceito de cor e raça.

A vereadora eleita Ana Lúcia Martins é a primeira mulher negra a ser escolhida em voto popular para o cargo em Joinville. Logo após o resultado, Ana Lúcia teria recebido ameaças de morte e ataques pelas redes sociais. Já no Rio Grande do Sul, o caso foi em um supermercado de Porto Alegre. O homem negro foi abordado por seguranças do local e espancado até a morte diante das câmeras de segurança.

Os dois casos aconteceram na semana da consciência negra. O dia 20 de novembro é marcado pela data dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e instiga questionamentos sobre racismo, discriminação, igualdade e inclusão de negros na sociedade e na cultura.

Com foco em promover o debate contra o racismo, que permanece mais importante do que nunca, a UniSociesc realiza, nesta quarta-feira (25), às 19h, uma palestra online com o tema: Racismo e Consciência Negra Interseccional.

“O evento marca o mês da consciência negra e traz para os nossos alunos e comunidade a reflexão sobre o enraizamento do racismo na nossa sociedade. Além disso, lembrar das figuras que lutaram e lutam no combate ao racismo”, afirma a coordenadora do curso de Direito da instituição, Manuela Fernanda Gonçalves Ferreira.

Coordenadora do curso de Direito da instituição, Manuela Fernanda Gonçalves Ferreira.
Foto: Divulgação

A palestra principal fica a cargo da Promotora de Justiça e coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação, do Ministério Público do Estado da Bahia, Lívia Vaz. Ela atua fortemente em relação a temas como feminicídio e igualdade racial. Além disso, em outubro desse ano, entrou na lista da ONU das 100 pessoas de descendência africana mais influentes do mundo.

Para participar da palestra, clique aqui

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*