Ufólogos de SC irão investigar marca que surgiu em ombro de morador de Garuva

Grupo já pesquisava marcas no solo do município, nas proximidades da chácara onde houve o suposto contato extraterrestre, quando souberam do ocorrido; especialista irá analisar se as duas manifestações estão interligadas

O Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina (GPUSC) virá para Garuva para investigar uma marca que surgiu no ombro de um morador da localidade de Vila Verde. Na marca, nota-se a presença de uma grande mão com quatro dedos compridos. Segundo o ufólogo Luiz Prestes Junior, que pesquisa esses fenômenos há 20 anos, há grandes indícios da marca ser uma manifestação ufológica, derivada de um contato com um ser extraterrestre.

Marca de quatro dedos compridos será investigada por ufólogos de Santa Catarina. Foto: Divulgação

Entenda o caso

No dia 19 de dezembro do ano passado, Aguinaldo do Nascimento, 25 anos, estava com um grupo de amigos em sua chácara no interior de Garuva quando observaram uma movimentação entranha em torno dela, principalmente, devido aos latidos e uivos excessivos dos cães da família.

Próximo à meia-noite, quando todos foram dormir, o rapaz afirma que acordou com o corpo quente e chegou a molhar as roupas com o suor; porém, segundo ele, a sensação não era de febre, mas de um tipo de calor que nunca havia sentido antes. Após ser medicado, foi para o quarto dormir.

“De manhã, quando acordei, já não estava mais quente, quando virei para minha namorada que viu a marca”, conta.

Aguinaldo no quarto onde ocorreu a marca. Foto: Herison Schorr

O morador conta que, em meia hora, a marca desapareceu, mas foi fotografada pela família. Na mesma manhã, um dos amigos, o curitibano Murilo Henrique Nakonezen Boenig, 30 anos, que estava na casa, saiu até a garagem para buscar brinquedos que estavam no carro quando encontrou uma substância chamada de “cabelo de anjo” em cima do para-brisa, do lado do motorista, e um pouco no capô.

“Parecia fio de aranha, mas era muito fino, como fibra de vidro, mas muito delicada”, diz.

De primeiro momento, o curitibano não ligou o material com o ocorrido com o amigo, mas, ao observar que em cima do capô do carro haviam três marcas, formando um triângulo, identificou que aquilo tinha relação com as marcas no corpo de Aguinaldo. “Quando encostei naquilo, começou a desmanchar, ficou invisível”, disse. Ele lembra que havia deixado o carro ao lado da janela do quarto onde Aguinaldo havia passado a noite.

“Cabelo de anjo é uma substância pegajosa e fibrosa relatada em conexão com avistamentos de ufos. Uma teoria entre ufólogos é que ele é criado a partir de “ar ionizado fora de um campo eletromagnético” que circunda um Ovni. Foto: Internet

Ao analisarem a marca do carro em uma visão mais acima, exatamente da janela do quarto, Murilo afirma que as marcas davam a entender que algo havia se apoiado no carro para poder entrar no quarto. O curitibano revela que já teve algumas experiências com a temática ufo quando trabalhou em Itapoá e passava pela rodovia que liga o município a Garuva.

Aguinaldo também acredita que a manifestação que ocorreu em sua casa tem a ver com a ufologia, pois acredita na temática devido a outras experiências que obteve em sua vida, como o avistamento de luzes estranhas no Caovi, próximo a divisa com Guaratuba.

Como funcionará a análise

O ufólogo Luiz Prestes, virá até Garuva para investigar o caso. Ele afirma que a pesquisa terá que primeiramente descartar algumas hipóteses. A primeira, segundo ele, é que a marca não foi feita por um humano, devido ao comprimento e contendo apenas quatro. Outras análises serão baseadas em descobrir se o rapaz possui algum tipo de alergia a insetos ou plantas. Caso essas hipóteses forem descartadas, a pesquisa terá duas conclusões:

“Uma delas seria uma reação do corpo humano ao contato com um ser não humano, uma reação química originada no contato. Outra seria um sinal proposital deixado pelo ser”, afirma.

O ufólogo conta que é comum haver marcas na pele quando ocorre um contato corporal com seres extraterrestres e, em sua experiência com a temática, a marca seria o registro de um contato de 4° grau com uma entidade biológica de outro planeta.

Ufólogo Luiz Prestes Junior. Foto: Acervo

Como a marca esteve presente por minutos no corpo do morador de Garuva, Luis acredita que ela foi deixada propositalmente, “como se o ser quisesse que o contato fosse registrado”, destaca.

Marca misteriosas em formato de mãos com quatro dedos também foram registradas em Guaratuba e Gaspar

Luiz revela que a aparição de pessoas que acordam com marcas de quatro dedos compridos tornaram-se comuns, principalmente no município de Gaspar SC. Próximo a Garuva, ele afirma que em 2012 uma moradora de Guaratuba PR também teve uma experiência semelhante.

“O caso de Guaratuba ocorreu em 2012 com uma moça que podemos chamar de Maria, ela pediu que sua identidade não fosse divulgada. Ela avistou uma luz estranha no céu por volta das 23 horas, quando voltava da faculdade. Ela pensou se tratar de uma estrela, mas a luz se movimentava no céu. Uma semana depois, ela acorda de madrugada e percebe uma forte luz iluminando a janela do seu quarto, e sente uma forte presença de alguém dentro de sua casa. Ela se recorda de ver um vulto dentro de casa e depois acordou em sua cama por volta das 8 da manhã. Ela não lembra como voltou para cama ou se aconteceu algo após ter visto o vulto durante a madrugada. A testemunha disse que isto ocorreu por volta das 2 da manhã. Logo após levantar da cama e ir ao banheiro, notou uma marca avermelhada em suas costas e outra marca em seu braço. Esta tinha o formato de uma mão e com quatro dedos longos. Após 30 minutos, aproximadamente, as marcas desapareceram, mas o local das marcas permaneceu sensível por uma semana”, relatou.

Ufólogos já estudavam marcas encontradas próximo à localidade de Vila Verde, em Garuva

Luiz conta que no início de março foram acionados por moradores de Garuva para analisar uma marca que surgiu no solo, nas proximidades da ponte baixa, em Garuva Acima. A marca, que tem três metros de diâmetro, possui um aspecto de vegetação queimada, a qual, não cresceu mais após o suposto pouso de um Ovni. Testemunhas afirmaram que no mesmo local também encontraram o “cabelo de anjo”.

Marca encontrada no solo, em março desse ano, na localidade de Garuva Acima. Foto: GPUSC

Agora, o ufólogo irá investigar se a marca no solo tem ligação coma a marca que surgiu no ombro do morador garuvense, pois os locais das manifestações são consideravelmente próximos, assim como o período que ocorreram.

Para os moradores que souberem de mais relatos como apresentados na matéria, o ufólogo deixa os contatos do WhasApp: 47 992866420 , e-mail contato@gpusc.com e site: clique aqui.

Texto: Herison Schorr

Jornalista Formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Leia também: Folha Norte SC 1 ano: Suellen pedala mais de cinco horas diárias para acalmar filho autista

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*