Avô de Araquari publica cordel em homenagem ao neto que morreu de câncer

Em versos e fotografias do menino, Pedro descreveu o amor e a saudade de um avô por um neto que partiu

“Valho-me desse poema

Em formato de cordel

Para falar de alguém

Que aqui cumpriu seu papel

Ele só trouxe alegria

Mas Deus também o queria

Juntinho dele no céu”.

Citação presente na obra: “Anjo Alex”. Autor: Pedro João Pereira.

Para eternizar em versos a beleza da breve vida de Alexsandro da Silva Junior, seu avô, o escritor autodidata e funcionário público Pedro João Pereira, de 63 anos, conhecido pela comunidade de Araquari como “Pedrão dos Cordéis” escreveu e publicou um cordel contando a história de seu neto, carinhosamente chamado de “Alex”, que morreu aos 15 anos, em 2018, vítima de um câncer no pulmão.

Em poesia, Pedro lembra da vida do neto e orgulha-se de sua trajetória neste mundo. Gravação/Divulgação

Com cerca de 20 páginas, entre versos e fotografias do menino, Pedro dedicou aos retratos impressos no livro, que revelam a cada folhear a energia de vivacidade de Alex, palavras que contam o amor e a saudade de um avô por um neto que partiu.

Autodidata, Pedro teve que deixar a escola no primário para ajudar seus pais no trabalho. Quando descobriu a literatura, escreveu cerca de 200 obras, dentre elas, uma homenagem para o neto. Foto/Divulgação

Para Pedro, todos os momentos que viveu com o menino foram marcantes, mas revive em suas memórias um deles. “Fui homenageado na Câmera de Vereadores de Araquari e nesse dia ele estava comigo”, conta o avô sobre aquela noite inesquecível, que era agraciado pelo trabalho dedicado à literatura do município, ao lado de seu neto que, segundo o escritor, não gostava muito de ler suas obras, mas sempre esteve presente nas conquistas da carreira dele.

Morador do bairro Itinga há 50 anos, Pedro, ao lado de neto, foi homenageado em uma cerimônia realizada na Câmara de Vereadores de Araquari pela riqueza de suas obras literárias, que são doadas para entidades filantrópicas do município. Foto/Divulgação

“A gente ainda chora muito por ele”, revela o avô.

A personalidade do neto também está presente na obra de Pedro. Com a serenidade das estrofes, o avô demonstra a tranquilidade com doses de aventuras de toda uma vida, do Karatê à timidez em sala de aula; das trilhas ao escotismo.

“Ele era de pouca conversa, bastante tímido; ele era muito educado e gostava sempre de estar perto da gente”, conta.

Joice de Miranda Pereira, filha de Pedro e mãe de Alex, revelou para o Folha Norte SC algo que o avô, até então, desconhecia: “Ele falava do livro do vô Pedrão; ele gostava das histórias”, conta. Segundo Joice, seu pai sempre esteve presente na vida do menino. “Ele era o único neto até completar 10 aninhos”, diz.

Mesmo sofrendo com a dor da perda do filho, a mãe conta orgulhosa a atitude do menino que pediu para ela, três dias antes de morrer, avisar aos médicos para que doassem seus órgãos, pensando no próximo, algo que infelizmente não ocorreu, devido ao comprometimento de seu corpo por causa da quimioterapia.

Algo herdado do avô, Alex deixou, em um versinho no caderno de crisma, a lição que levou para si durante a vida: “O que significa Deus para você? Deus significa não esmorecer diante das dificuldades.”

Avô e neto em uma pescaria. Foto/Divulgação

O avô conta que sua última conversa com neto, já no hospital, foi dolorosa demais para relembrar, mas deixou apenas as palavras presentes no cordel para acalentar o coração com lindas memórias eternizadas em folhas de papel.

“E quando me lembro dele

Eu chego mesmo a pensar

Se não tivesse nascido

Eu não estaria a chorar

Mas a vida não tem regra

E o motivo que alegra

Um dia nos faz chorar”.

Citação presente na obra: “Anjo Alex”. Autor: Pedro João Pereira.

Herison Schorr
Herison Schorr

Escritor e jornalista formado pela Faculdade Bom Jesus Ielusc

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*