Praia de Itapoá tem um ponto impróprio para banho

DCIM107MEDIADJI_0100.JPG

Um relatório, divulgado no último sábado (4) pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), revela que Itapoá tem 1 ponto impróprio para banho. As coletas foram realizadas dia 2 de janeiro em 4 pontos das praias e o local impróprio trata-se do final da Avenida 650 no Balneário Brasilia.

Divulgação/IMA

Sobre o Relatório de Balneabilidade


O IMA faz análises mensais durante o inverno e semanais durante o verão em 106 balneários de Santa Catarina, o que significa 27 municípios, para verificar se eles são próprios ou impróprios para banho.

Os locais de coleta são escolhidos levando-se em conta a quantidade de banhistas e a proximidade a saídas de corpos d’água, como rios, riachos, valas e tubulações. Esses locais muitas vezes são procurados por crianças e adultos atraídos pela água quente e calma, ignorando que é exatamente pelos corpos d’água que o esgoto chega à praia. A água contaminada pode causar doenças como gastroenterite, verminoses, doenças de pele e até doenças mais graves de veiculação hídrica como hepatite, cólera e febre tifóide.

Para saber se a água é própria para banho e esportes, o IMA verifica a quantidade de Escherichia Coli existentes. O local será considerado impróprio para banho quando 80% dos últimos cinco resultados estiverem acima de 800 Escherichia Coli por 100 mililitros.

A Escherichia Coli representa 80% dos coliformes fecais e por isso é considerada a melhor indicadora de poluição hídrica. Por ser uma bactéria do grupo Coli, a Escherichia está presentes quando há contaminação fecal de seres humanos e animais de sangue quente.

Para obter um resultado de balneabilidade são feitas cinco coletas consecutivas, uma a cada semana. Ao fazer a sexta, descarta-se a primeira, ficando novamente com cinco. A coleta é feita sempre no mesmo local, a aproximadamente um metro de profundidade. Além da coleta, o IMA também acompanha as condições climáticas, o vento, a maré, a temperatura e o PH da água. Tais fatores podem influenciar no resultado de balneabilidade.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu email não será publicado


*