7 locais para conhecer em Itapoá

Itapoá é praia e sol, terra e mar e as suas belezas queremos cantar, contar e mostrar. E é assim, parafraseando José Slumink, compositor do hino dessa cidade, que trago sete lugares que todos os itapoaenses e visitantes já conhecem ou deveriam conhecer. E o melhor, sem gastos ou pagando muito pouco. Então, vamos aproveitar que é final de semana e fazer um tour por Itapoá?!

Rio da Barra do Saí

Foto: Prefeitura de Itapoá

Primeira ou última praia de Santa Catarina, depende de onde você venha, a Barra do Saí conta com faixa de areia branquinha, mar aberto e o encontro do Rio Saí Mirim com o mar.

Percorrendo quase 43 quilômetros de Itapoá, o rio, localizado no extremo norte do município, abriga grande biodiversidade e oferece atrativos naturais. Exemplo disso são as quatro cachoeiras com quedas que variam de sete a doze metros e a “Boca da Barra”, lugar onde mangue, mar e rio se encontram e proporcionam um cenário ideal para fazer fotos ou mesmo presenciar o pôr do sol. No verão, em dias de maré alta, as águas no local ficam claras e quentes, perfeitas para banhos e práticas de caiaque e stand up.

Pegar uma praia entre as 3 pedras

Foto: Prefeitura de Itapoá

No região de Itapema do Norte ficam as três pedras, são rochas a beira mar, próximas uma da outra, com piscinas naturais formadas pela maré e com ondulação propicia a prática de surf.

As pedras formam um belo cenário, de onde é possível assistir a lindos nasceres do sol. Os nomes populares conhecidos das rochas são: Primeira Pedra (pedra do Areião), Segunda Pedra (pedra do meio), Terceira Pedra (pedra do surfista, pedra do Mendanha)  e Ilha de Itapeva (Ilha do cação), está o acesso é de barco. O local conta com vários bares/lanchonetes e um calçadão. Na temporada o local fica tomado por banhistas e é possível alugar cadeiras e guarda-sol nos comércios.

Ilha de Itapeva ou Ilha do Cação

Foto: Prefeitura de Itapoá

A pequena ilha fica a vista de quem frequenta as areias do balneário Itapema do Norte. O acesso se dá a barco, mas alguns nadadores e surfistas chegam até ela com a força das braçadas, seja na remada na prancha ou a nado. O importante é apreciar a natureza!

A ilha é cheia de pedras que se tornaram paradouro de inúmeras gaivotas. Além das aves um outro morador chama atenção, é um único sombreiro que, segundo os mais antigos, foi plantado por pescadores. A ilha conta com uma pequena faixa de areia e em um de seus lados as marés formaram uma piscina natural de águas cristalinas – cenário propício para a prática de mergulho e contemplação da fauna e flora subaquática da região. 

Reserva Volta Velha

Foto: Prefeitura de Itapoá

Que tal fazer uma trilha em meio a mata, observar as aves, fazer canoagem e conhecer um pouco mais sobre a cultura indígena?! Tudo isso pode ser feito na Reserva Ecológica Volta Velha. O local conta com 875 hectares de área em conservação da Mata Atlântica. A mata é densa, coberta de bromélias e abundante fauna tropical. Dentro da reserva também existe um Sambaqui, datado de 4 mil anos. A reserva é muito visitada por estudantes e pesquisadores das áreas de Biologia e Ecologia.

O local oferece serviços de hospedagem, salão de eventos, atividades de ecoturismo, turismo de aventura e atividades de educação ambiental a escolas. Além disso, a Reserva foi selecionada pela UNESCO / Programa MaB – “O Homem e a Biosfera” como uma das Áreas Piloto da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica em Santa Catarina, sendo receptivo de turistas do mundo atraídos pela observação de aves e espécies do bioma.

Cachoeira Casarão

Foto: Visite São Chico

Saindo um pouco da sequência e até do município para falar da Cachoeira Casarão. Embora fique na parte continental do município vizinho, São Francisco do Sul,a queda d’água é tão conhecida em Itapoá que algumas pessoas até acham que ela faz parte de Itapoá. Para chegar até ela é preciso pegar uma estrada de chão (que pode ser a estrada Geral do Sai Mirim ou pela própria Vila da Glória). 

A cachoeira do Casarão está localizada em uma propriedade particular, da Familia Bachneyer, por isso tem taxa para entrar, R$ 10. Logo na entrada nos deparamos com o casarão, construído em 1905, que dá nome ao local. Seguindo por uma trilha de máximo dez minutos, com alguns degraus, chegamos as águas geladas e cristalinas. A altura e o volume de água da queda não são muito grandes, porém a piscina que se forma após a queda é incrivelmente limpa e transparente, fazendo dela um perfeito lugar para se mergulhar. 

Farolete trincheira, ou simplesmente Farol do Pontal

Foto: Prefeitura de Itapoá

A torre octagonal fica às margens da Baía da Babitonga, com um cenário que parece pintura do Willian Turner de tão perfeito. Assistir um pôr do sol, vendo e ouvindo as águas calmas da baía com os barquinhos dançando ao ritmo do mar é com certeza energizante. 

Mas o Farol não é só belo! O marco turístico que foi construído em 18 de outubro de 1948, surgiu devido à destruição do farol de Piçarras que existia na região e, também, para suprir a necessidade em sinalizar navios na entrada da Baía da Babitonga. Atualmente é considerado um importante ponto turístico e cultural de Itapoá. Ficou carinhosamente conhecido pela comunidade como Farol do Pontal, porém, para a Capitania dos Portos ele é denominado como “Farolete Trincheira”. 

Curtir a noite no Bar Na Oca

Foto: Bar Na Oca

Para terminar esse dia cheio de roteiros praieiros vamos tomar uma cerveja? Eu conheço o lugar perfeito!

 “Na oca” é um bar que tem a cara de Itapoá. Todo caiçara já tomou uma cerveja lá, os mais antigos com certeza lembram da época em que não havia piso, era areia e a cobertura de palha, numa pegada mais roots. Infelizmente (pelo menos para mim que amava o estilo praieiro) a cobertura pegou fogo e foi trocada. O piso foi feito para atender as normas da vigilância sanitária. 

Mesmo com as mudanças físicas e estruturais o bar continua com a vibe praieira, com cervejas geladas, estilo musical que traz MPB, reggae, pop e etc. Além de tudo isso, o local é ponto de encontro dos nativos e do nosso ícone local – o Luizão. Mas sobre ele falo outro dia, por enquanto já adianto que ele vai te pedir uma Coca-cola.

 <br> Karina Oesterreich

Karina Oesterreich

Jornalista formada pela faculdade Bom Jesus IELUSC

Input your search keywords and press Enter.